Parlamento do Reino Unido aprova pedido de adiamento do Brexit e rejeita novo referendo


Com isso, a primeira-ministra Theresa May pedirá à liderança da União Europeia para que a saída definitiva ocorra em outra data – antes, a previsão era que o Brexit ocorresse em 29 de março. Parlamento britânico vota adiamento do Brexit Reuters TV via REUTERS O Parlamento britânico aprovou nesta quinta-feira (14) o pedido de adiamento do Brexit à União Europeia. Na mesma sessão, os parlamentares rejeitaram uma emenda para postergar a saída do Reino Unido do bloco. Com isso, a primeira-ministra Theresa May pedirá à liderança da União Europeia para que a saída definitiva ocorra em outra data – antes, a previsão era que o Brexit ocorresse em 29 de março. SANDRA COHEN: o divórcio cada vez mais sem saída no Reino Unido A premiê, no entanto, deve pedir para que o processo ocorra, no máximo, até 30 de junho. A data é limite para que o Reino Unido não precise participar das eleições para o Parlamento Europeu. "Qualquer extensão além de 30 de junho de 2019 exigiria que o Reino Unido participe das eleições para o Parlamento Europeu em maio de 2019", afirma o texto da moção apresentada por May. A Eurocâmara deve tomar posse no dia 2 de julho. Os deputados europeus serão escolhidos em pleito previsto para ocorrer entre 23 e 26 de maio. Outras emendas Manifestante anti-Brexit protesta em Londres enrolada em bandeira da União Europeia Dylan Martinez/Reuters Integrantes do Parlamento votaram nesta quinta-feira uma série de emendas para decidir a saída do Reino Unido da União Europeia vai ou não ser adiada. Um dia antes, os parlamentares decidiram que o Brexit só poderá ocorrer caso haja acordo com o bloco. Os parlamentares ainda rejeitaram uma proposta de transferir ao Parlamento a responsabilidade das decisões sobre o Brexit – uma vitória para a primeira-ministra, que continua, portanto, à frente do processo de saída da União Europeia. Meses de impasse Manifestantes a favor do Brexit protestam em frente ao Parlamento britânico, em Londres Dylan Martinez/Reuters Desde o ano passado, May tenta negociar um acordo com a União Europeia para evitar a saída abrupta do bloco – o que poderia acarretar em perdas na economia e incertezas políticas. A premiê conseguiu costurar um tratado com líderes europeus no fim do ano passado. No entanto, a proposta foi recusada em janeiro deste ano. A derrota quase levou May a perder o cargo, mas ela venceu a votação de um voto de não confiança no Parlamento. Ainda para evitar o chamado "Brexit duro", a primeira-ministra tenta convencer parlamentares britânicos e líderes europeus a fechar um acordo. Ela encontra, porém, resistência de todos os lados. Na terça-feira, o Parlamento britânico rejeitou mais uma vez um texto proposto por May para o Brexit. Foram 391 contra e 242 votos a favor.
ARTIGO ORIGINAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *