Rei da Tailândia critica candidatura de princesa nas eleições para primeiro-ministro


Monarca alega que membros da família real não devem participar da política. Eleições em março serão as primeiras desde o golpe militar de 2014. Representante do partido Thai Raksa Chart entrega nesta sexta-feira (8) ficha com a foto da princesa Ubolratana a Comissão Eleitoral da Tailândia, em Bangcoc AP Photo O rei da Tailândia, Maha Vajiralongkorn, chamou de "inapropriada" e "inconstitucional" a decisão de sua irmã mais velha de concorrer ao cargo de primeira-ministra. A princesa Ubolratana Rajakanya Sirivadhana Barnavadi, de 67 anos, anunciou nesta sexta-feira (8) a candidatura ao posto por um partido de oposição à junta militar que governa o país. "O envolvimento de um membro da família real na política, não importa de que maneira, afronta às tradições, costumes e cultura do país; e, então, consideramos extremamente inapropriado", disse o rei em um comunicado. A princesa se candidatou pelo partido Thai Raksa Chart, apoiado pelo ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra. Ele foi deposto em um golpe de estado em 2014, e as eleições marcadas para 24 de março serão as primeiras desde o início do governo da junta militar. Imagem de outubro de 2017 mostra a princesa Ubolratana Mahidol da Tailândia AP Photo De acordo com a rede alemã Deutsche Welle, a princesa Ubolratana é muito popular na Tailândia e tem mais de cem mil seguidores no Instagram. Ela atuou em três filmes e gravou vários discos. Ela também causou comoção entre a população ao perder o único filho, que era autista, num tsunami em 2004. Ubolratana perdeu, oficialmente, o título real após se casar com um norte-americano em 1972. Porém, ela ainda é tratada como princesa pelos tailandeses.
ARTIGO ORIGINAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *