Clínica onde jovem em estado vegetativo deu à luz nos EUA será fechada


Conselho de diretores da Hacienda HealthCare diz que ‘não é sustentável’ manter unidade de cuidados intermediários em Phoenix; instalações de enfermagem permanecerão abertas. Funcionário foi acusado de estuprar paciente, mas alega inocência. Fachada da clínica Hacienda HealthCare, em Phoenix, Arizona AP Photo/Matt York Uma clínica no Arizona, onde uma mulher em estado vegetativo deu à luz em dezembro de 2018, anunciou na quinta-feira (7) que vai encerrar suas operações. Responsáveis pela Hacienda HealthCare disseram que seu conselho de diretores determinou que não é sustentável manter a unidade de cuidados intermediários em Phoenix. O local atende bebês, crianças e jovens adultos com deficiências intelectuais ou de desenvolvimento que exigem um alto nível de assistência médica. Funcionários disseram que estão trabalhando com agências estatais para desenvolver um plano para levar 37 pacientes para outros centros. As instalações de enfermagem especializada permanecerão abertas. "Continuaremos a trabalhar com essas agências nas próximas semanas e meses para garantir uma transição apropriada e segura", disse a clínica em um comunicado. “O atendimento de nossos pacientes continua sendo nossa prioridade e faremos tudo ao nosso alcance para garantir uma transição suave para eles e suas famílias”. Reguladores estaduais, enquanto isso, chamaram a decisão de “notícias perturbadoras” e que não atende aos interesses dos pacientes. "Encorajamos a Hacienda a trabalhar com o estado para encontrar um caminho", disse o Departamento de Segurança Econômica do Arizona em um comunicado. “As agências estatais estão esgotando todos os esforços para chegar a uma conclusão que seja benéfica para os pacientes, alguns dos quais estiveram nessa instituição quase toda a sua vida”. Nathan Sutherland, acusado de estuprar paciente na clínica Hacienda HealthCare, durante audiência em corte no condado de Maricopa, em Phoenix, Arizona, no dia 5 de fevereiro Tom Tingle/The Arizona Republic via AP, Pool O Estado havia ordenado que a Hacienda contratasse uma equipe de administração terceirizada para supervisionar as operações diárias após a revelação de que uma mulher incapacitada que vivia na instalação desde os três anos de idade deu à luz em 29 de dezembro. Mas a Hacienda e a equipe externa não conseguiram chegar a um acordo de longo prazo. Autoridades acusaram Nathan Sutherland, ex-enfermeiro, de agredir sexualmente a vítima de 29 anos. Eles determinaram que seu DNA correspondia a uma amostra retirada do recém-nascido. Sutherland, de 36 anos, declarou-se inocente no início desta semana por agressão sexual e abuso de adulto vulnerável.
ARTIGO ORIGINAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *